Abradisti

Contato
  • Futurecom 2017: destaque para os rumos do IoT no Brasil

    Por Abradisti em 10/10/2017 14:16:01

    Na última semana, São Paulo recebeu mais uma edição do Futurecom, evento focado em soluções de Telecomunicações e TI. E o que se viu foi uma grande mostra da revolução que está por vir na vida de usuários e empresas do setor. Uma revolução, aliás, que chega com nome: Internet das Coisas – o IoT.

    Com mais de 200 expositores, evento mostrou tendências, desafios e oportunidades do IoT no Brasil e como as empresas poderão aproveitar esses caminhos para gerar mais negócios

    Na última semana, São Paulo recebeu mais uma edição do Futurecom, evento focado em soluções de Telecomunicações e TI. E o que se viu foi uma grande mostra da revolução que está por vir na vida de usuários e empresas do setor. Uma revolução, aliás, que chega com nome: Internet das Coisas – o IoT.

    Com mais de 15 mil visitantes ao longo dos quatro dias de programação, o encontro promoveu uma série de análises e novidades sobre o ecossistema de IoT do país. Para isso, a feira contou com a participação de empresas e especialistas do ramo de tecnologia, falando e mostrando o que há de novo nesse horizonte.

    Destaque para a apresentação de vários protótipos e experiências de sensoriamento remoto, análise de dados, inteligência artificial e mobilidade, em soluções que iam desde a automação de supermercados e açougues até o desenvolvimento de carros autônomos.

    Apresentação das novidades do IoT no Brasil

    Quem acompanhou as ações pôde conferir um pouco das novas oportunidades de negócios que estão sendo abertas pelo avanço de temas como dispositivos inteligentes, Nuvem e Segurança da Informação.

    Viu também a apresentação oficial do documento base do Plano Nacional de Internet das Coisas, divulgado pelo governo federal e que foi concebido a partir da reunião do Ministério da Ciência e Tecnologia, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o consórcio liderado pela McKinsey & Company, com a participação da Fundação CPqD.

    O plano prevê o detalhamento e a análise prática de como a tecnologia poderá ser usada em temas como Cidades Inteligentes, Conectividade e Educação e Saúde, entre outras, mostrando prioridades e desafios para a implementação do IoT – e da indústria – no Brasil.

    Vale ponderar, evidentemente, que a Internet das Coisas ainda está somente no início de sua jornada. Porém, o trabalho de identificar e aplicar impulsos em diversos ambientes, como a indústria rural e a manufatura, são importantes por dois motivos: para mitigar os riscos e para acentuar a chance de sucesso em operadores nacionais.

    Como a Distribuição ganha com o IoT

    Em resumo, a aplicação de IoT é uma tendência sem volta. E que só tende a crescer, também para quem distribui a TI: isso porque, além da venda de dispositivos conectados, temos de considerar outros fatores que certamente poderão render lucros à cadeia de distribuição como um todo: a prestação de serviços e a recorrência de demanda por segurança e inovação.

    Esses são pontos que a revenda e o fabricante terão de contar com o apoio da cadeia distribuidora, para levar, ajustar e orientar a entrega das soluções. Isso ficou claro, mais uma vez, no próprio Futurecom, com estandes integrados, reunindo todos os elos do ambiente de TI em ofertas pensadas para melhorar a vida do consumidor.

    E você pode saber muito mais sobre este tema aqui no nosso Blog! Ou com nosso time: venha falar com a gente!

    *Por Mariano Gordinho, diretor-executivo da Abradisti

    Compartilhe:

    deixe seu comentário

    Assine Nossa News


    Assine nossa newsletter e receba novidades diretamente em seu e-mail