Abradisti

Contato
  • O desafio da Tecnologia: a guerra das tarifas criadas por Trump

    Por Abradisti em 21/11/2018 20:07:37

    Entenda os principais desafios encontrados pelo setor de tecnologia com as novas tarifas criadas pelo governo Trump e como elas impactam o mercado

    Enquanto o mercado de tecnologia se organiza para lidar com os aumentos de tarifas criadas pelo governo dos EUA para 2019, a CONTEXT observa como os compradores de TI agem nesses eventos macroeconômicos que impactam nos custos dos produtos

    Há 7 anos, um evento Tailandês prejudicou a disponibilidade de hard drives globalmente. A Tailândia era o segundo maior produtor de HDs depois da China, mas as enchentes que aconteceram por lá impactaram negativamente em 30% da produção global.

    O resultado foi um grande aumento nos preços e atrasos na produção de PCs. Por outro lado, alguns fabricantes puderam baixar as expectativas do mercado e aumentar os preços em um mercado já bastante competitivo.

    E agora, como os departamentos de compras reagirão ao aumento nos custos dos produtos de TI? E quanto esses aumentos poderão ser reais e duradouros?

    Até o momento não observamos nenhum impacto direto relacionado às novas medidas. Existe uma certa escassez de processadores Intel no mercado em função do crescimento da indústria de PCs, de acordo com o CEO da Intel, Bob Swann.

    No início desse ano o custo da RAM aumentou significativamente devido a falta de material, o que se estabilizou apenas nos últimos meses, conforme o gráfico de preços médios abaixo demonstra:

    Source: CONTEXT SalesWatch Distribution – Europe + Russia + Turkey

    No último ano houve um grande aumento no preço de placas de video em função da demanda do mercado de games e da mineração de Bitcoins na Rússia.

    Source: CONTEXT SalesWatch Distribution – Europe + Russia + Turkey

     

    Em ambos os casos o aumento dos preços se deu pela relação oferta e demanda. Então o paralelo com o aumento das tarifas agora é bem relevante, já que o maior impacto do anúncio feito por Trump será em componentes e matérias primas – capas de vidro, ventiladores usados em computadores, parafusos, aço inoxidável, montagem de circuitos impressos, certos monitores e o item que tem causado aumento nos preços da Cisco e Juniper, aparatos de switching e routing.

    O que os departamentos de compras não querem ouvir dos fabricantes é: “Desculpe, as tarifas estão causando aumento nos preços dos componentes, o que significa que teremos que subir os preços em 10%”.

    Então, deve acontecer alguma lentidão no mercado enquanto cada lado tenta ajustar as coisas dentro da nova realidade:

    • Fabricantes de TI vão tentar ser mais criativos nos próximos meses para assimilar as mudanças e retomar as práticas de outros tempos que podem ter sido esquecidas durante a era do livre comércio. Engenharia de custos é o termo (já bem conhecido por nós brasileiros) – a “adaptação de um item (importado) para que o importador não tenha que pagar qualquer taxa”. Será que é hora de se trabalhar com planilhas para entender as reais necessidades e expectativas do consumidor e buscar outra maneira de atendê-lo?
    • Mudar o local de fabricação de determinado produto pode ser uma saída, mas isso é drástico e precisa de planejamento. Contudo, o fim do jogo do Presidente Trump não é criar uma guerra tarifária de longo prazo com a China, mas sim conseguir um novo acordo com eles com relação aos produtos que importam dos EUA. Com Mexico e Europa, o objetivo é revisar os acordos de comércio de automóveis.
    • A  Apple é uma das empresas potencialmente ameaçadas, já que 100% da produção de seus smartphones está na China. Até o momento, por meio de um bom trabalho de lobbying, eles estão conseguindo manter o Apple Watch imune à primeira onda de novas tarifas, mas será que vão resistir à segunda onda em Janeiro de 2019 ou terão que considerar outro local de fabricação?
    • Departamentos de compras de TI estarão cada vez mais pressionados pela visibilidade dos custos relacionados a essa área em ambos os casos: tanto os custos de “livro aberto” dos fornecedores que compartilham seus dados de aquisição, como no caso dos recursos de terceiros que fornecem verificação independente dos índices de preços.
    • O procurement de TI também vai querer checar de perto o impacto dos movimentos de preços ao longo do tempo – os aumentos não acontecem de imediato em toda cadeia, pois existe algum estoque a preços antigos. Visibilidade na cadeia de suprimentos é vital desde o sell in até o distribuidor (para aqueles produtos fornecidos pelo canal) e para o consumidor final. Quando novos preços começam a aparecer, o impacto é claramente identificável em cada intermediário da cadeia. Então, no caso das tarifas (que deverão ter curta duração), a transparência sobre a remoção da restrição de preço é necessária.

    Uma das possíveis consequências não intencionais da guerra tarifária de Trump pode ser a grande colaboração e transparência entre os departamentos de procurement e os fabricantes de produtos de TI. O que nos levaria a um aumento na eficiência. Tudo em função da transparêcia dos dados por toda a cadeia de suprimentos.

    Por CONTEXT World

    Compartilhe:

    deixe seu comentário

    Assine Nossa News


    Assine nossa newsletter e receba novidades diretamente em seu e-mail